JUDOCA DE PETROLINA É TETRACAMPEÃ NO CAMPEONATO BRASILEIRO REGIONAL DE JUDÔ

A judoca petrolinense Cynthia Silva foi tetracampeã no Campeonato Brasileiro Regional de Judô, realizado nos dias 30 e 31 de março em João Pessoa (PB). Recentemente, a atleta ficou em sétimo lugar no Pan-Americano de Lima, no Peru, realizado no início deste mês.

Satisfeita com o resultado, Cynthia comemorou uma vitória além do pódio, pois, além de conquistar o título de campeã, também celebrou o fato de não ter cometido erros antigos na competição.

– Foi muito bom ser campeã brasileira pela quarta vez. Venho de umas competições em que cometi alguns erros, e nessa foquei em não cometê-los. Então, o resultado veio e foi ótimo porque também ajudei meu estado a ser campeão geral do brasileiro.

Com o resultado, Cynthia garante pontos para o ranking nacional, além de uma vaga na fase final do Campeonato Brasileiro de Judô.

Por Globoesporte.com — Petrolina, PE – Foto: Cynthia Silva / Arquivo pessoal

DEPUTADO DE SÃO PAULO APRESENTA PROJETO DE LEI QUE LIMITA TRANSEXUAIS NO ESPORTE

O Diário Oficial de São Paulo publica nesta terça-feira o projeto de lei 346, de autoria do deputado estadual Altair Moraes (PRB), que estabelece o sexo biológico como o único critério para definição do gênero de competidores em partidas esportivas oficiais no Estado de São Paulo. O projeto, que ainda vai a votação no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo, veta a participação de transexuais em qualquer modalidade em equipes que correspondam ao sexo oposto ao de nascimento.

O deputado estadual defende ainda que o clube que não cumprir a lei trans será multado em 50 salários mínimos. O projeto entrará em vigor 180 dias depois de aprovado.

Se aprovada, a medida vai impedir, por exemplo, a atuação da jogadora de vôlei Tiffany, que hoje defende o Bauru, semifinalista da Superliga Feminina. Na edição atual do torneio, o clube de Bauru (SP) disputa uma vaga na final diante do Praia Clube, de Uberlândia (MG).

Tiffany é o primeiro transexual a atuar na Superliga Feminina de Vôlei. Aos 33 anos, ela foi autorizada pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB, na sigla em inglês) a atuar na competição nacional após passar por cirurgia de mudança de sexo. Até os 31 anos, participou de várias edições do torneio masculino no Brasil, na Europa e na Ásia. Em 2017, assinou contrato com o Bauru.

A presença de Tiffany na Superliga é polêmica. No último dia 27, Bernardinho, técnico do Sesc-RJ, se irritou em um lance disputado com a atacante e disparou em direção ao banco de reservas: “Um homem, é foda!” Uma câmera flagrou o desabafo do treinador, criticado nas redes sociais pelo Angels Volley Brazil, equipe LGBT criada há 11 anos. “Transfóbicos e homofóbicos não vão passar sem serem apontados na nossa página! Pode ser até o papa do vôlei. Vamos desmascarar todos! Parabéns para o time feminino do Vôlei Bauru, mulheres incríveis que ganharam jogando por merecimento e sem nenhuma vantagem”, publicou o time em rede social. No dia seguinte, Bernardinho se desculpou.

Bruno Voloch, blogueiro do Estadão, escreveu no dia 5 de fevereiro que o movimento contra a jogadora cresceu recentemente. O movimento coincide que a melhoria do aproveitamento de Tiffany dentro da quadra nas fases finais do torneio. De acordo com Voloch, os clubes não vão se manifestar publicamente por causa dos patrocinadores, mas a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) já tem conhecimento da insatisfação da maioria deles.

No mês de janeiro, a ex-atleta Ana Paula Henkel, colunista do Estadão, publicou uma Carta Aberta ao Comitê Olímpico Internacional (COI). “Médicos já começam a se pronunciar sobre a evidente vantagem de atletas transexuais no esporte feminino e contestam a recomendação feita pelo COI de permitir atletas trans de competirem entre mulheres com apenas um ano com nível de testosterona baixo”.

 

Foto: Marcelo Ferrazoli/Vôlei Bauru – Estadão Conteúdo

DE OLHO NA PRÓXIMA TEMPORADA, ZIDANE QUER A PERMANÊNCIA DE VARANE NO REAL MADRID

De volta ao Real Madrid há pouco menos de um mês, Zinedine Zidane já bateu o pé e quer a permanência do zagueiro Raphael Varane para a próxima temporada. Nesta terça-feira, o técnico do clube espanhol deixou bem claro a sua ideia. “Não quero um Real Madrid sem Varane”, afirmou o francês perante as notícias que rodeiam uma possível transferência de seu compatriota nas últimas semanas. “É um jogador jovem que ainda têm muitos anos bons”, acrescentou.

Zidane disse que Varane não lhe comunicou o seu desejo de sair do Real Madrid, afirmando que esse é o ponto chave caso o zagueiro queira realmente deixar o clube. “O Varane não disse nada disso e quero que fique. Saem muitas coisas dizendo que está incomodado, mas são coisas da vida dos jogadores. Eu o vejo bem, para mim não me disse nada e o importante é o que diga a mim. Por enquanto sabe que está no melhor clube do mundo e ganhou muitíssimas coisas”, revelou.
Com o Real Madrid fora da disputa dos títulos mais importantes – foi eliminado da Liga dos Campeões da Europa e da Copa do Rei e está 12 pontos atrás do líder Barcelona no Campeonato Espanhol -, as especulações sobre mudanças no elenco aumentaram. Sobre isso, Zidane preferiu não fazer qualquer comentário. “Acho uma falta de respeito falar sobre transferências agora, pois não é o momento certo para falar de mercado”, disse.

Um nome comentado para reforçar o Real Madrid é o do zagueiro senegalês Kalidou Koulibaly, do Napoli. Nascido na França, o defensor não ocupa uma vaga de extracomunitário e seria um desejo antigo de Zidane. Na Itália, ele se tornou um dos grandes defensores do futebol europeu e seus direitos estariam estimados em 70 milhões de euros (cerca de R$ 300 milhões). Mas seu contrato com o time napolitano vai até 2023 e a sua multa rescisória é ainda maior que o valor de mercado: cerca de 150 milhões de euros (mais de R$ 650 milhões).

Nesta quarta-feira, o Real Madrid volta a campo para enfrentar o Valencia, no estádio Mestalla, em Valência, pela 30.ª rodada do Campeonato Espanhol.

Foto: GABRIEL BOUYS /AFP –  Estadão Conteúdo

CONTRA NÁUTICO, TÉCNICO DO AFOGADOS ESPERA ‘TRANSFORMAR SONHO EM REALIDADE”

A semifinal do Campeonato Pernambucano contra o Náutico, nesta quarta-feira, será o jogo mais importante da história do Afogados da Ingazeira. Fundado há apenas cinco anos, é a primeira vez que o clube avança até esse estágio em uma competição. Na temporada passada, a Coruja do Pajeú avançou até as quartas de final do Estadual, mas foi eliminada justamente pelo Timbu.
Este ano, no entanto, o Afogados vive um momento especial. Além de ter eliminado o Santa Cruz e avançado para a semifinal do Pernambucano, o clube conseguiu outra conquista inédita: uma vaga na Série D de 2020. “O futebol só acontece quando a bola rola. Talvez o salário de dois ou três jogadores do Náutico pague uma folha salarial inteira da gente. Sabemos dessa disparidade. Mas no campo são 11 de lá e 11 de cá. Vamos tentar transformar o sonho em realidade”, acredita o técnico da equipe, Pedro Manta.
Antes de entrar em campo contra o Tricolor na fase eliminatória, o treinador classificou o duelo como um embate entre Davi e Golias. Nas semis, o cenário é novamente desfavorável para a equipe do sertão do pajeú. “Não muda nada da partida contra o Santa Cruz. Vamos jogar com um time grande e que vem sendo preparada por um grande treinador, que é o Márcio Goiano. A dificuldade é até maior, o Náutico é uma equipe que tem uma transição muito rápida do meio para o ataque”.
Apesar do Timbu ser amplamente favorito para a partida de quarta-feira, Pedro Malta assume o papel de franco-atirador e espera surpreender o alvirrubro dentro da sua casa, assim como fez com o Santa Cruz, no Arruda. “Desde quinta-feira já começamos a estudar o Náutico. Assim como vão estudar a gente também. Temos que eliminar os pontos fortes e tentar surpreender. É difícil, mas não é impossível”, concluiu.

Marina Maranhão /Especial para o Diario

SITE TURCO ESPECULA SONDAGEM DO FENERBAHCE POR RENÊ, DO FLAMENGO; SPORT PODE LUCRAR

Uma publicação especulativa agitou a torcida do Sport no final da manhã desta terça-feira. O site esportivo da Turquia Ajansspor noticiou que o Fenerbahce, um dos maiores clubes do país, tem interesse no lateral Renê, atualmente no Flamengo. O jogador tem 26 anos e foi formado nas categorias de base do Rubro-negro pernambucano. Em caso de acerto com outros clubes, o Leão, devido ao mecanismo de solidariedade da Fifa, pode sair ganhando por ser a instituição formadora. O percentual seria de 2,75% do valor total da negociação.
Na matéria publicada pelo veículo turco, a sugestão é de que houve uma sondagem direta e um primeiro contato com Rui Jesus, que seria um dos ‘agentes’ de Renê. Na conversa, a diretoria do Fenerbahce estaria buscando informações sobre as circunstâncias do jogador. Entretanto, até o início desta tarde, o empresário do lateral, Marcos Portela, disse que não foi procurado. 
“Eu falo com o Renê praticamente todos os dias. Falei com ele ontem pela última vez e até agora não recebemos nenhuma sondagem ou notificação a respeito disso”, declarou Marcos. O Superesportes também foi atrás da declaração do Flamengo sobre o caso, mas a assessoria do clube informou que “não comenta especulações”.
O diretor de futebol Nelo Campos, do Sport, também revelou desconhecer qualquer informação sobre o assunto, mas diante da possibilidade do Leão lucrar, ele destacou: “Se estiver acontecendo negociação, que levem! Não estamos sabendo de nada, mas vamos torcer para que aconteça”.

Laís Leon /Especial para o Diario , Anderson Malagutti /Diario de Pernambuco , Camila Sousa /Especial para o Diario